02.03.2013 – EBA APIAI “O RASTRO DA SERPENTE”

Nos dias 02 e 03 de março, a facção Curitiba, participou do EBA – APIAI-SP.  O percurso é muito cobiçado por motociclistas, pelas caracteristicas da estrada. São centenas de curvas muito fechadas, numa viagem muito amarrada, que se torna um desafio e num orgulho a quem a percorre. Por isso o trecho é conhecido como “Rastro da Serpente” .O dia estava maravilhoso, ceu de brigadeiro, tanto na ida como na volta. Viajamos em 3 bondes num total de 45 motos, um triciclo e 3 carros de apoio, tendo como participantes irmãos, cunhadas, sobrinhos e alguns amigos.

Para percorrer 170 Km ate Apiai-SP,  demoramos 3:30hs, e em poucas vezes conseguimos atingir a velocidade de 80km/h. Fizemos um parada em Tunas do Parana para recompor as energias.

O destaque desta viagem foi o Moacyr que puchou um bonde com a sua Honda/Lead.

Há mais ou menos 100 KM de Ctba, tem uma vista panoramica do Vale da Ribeira, onde nossos olhos so enchergam um imenso vale, emoldurado por cordilheira de montanhas que so por isso vale o Passeio.

É uma regiao rural e uma das mais carente dos estados do Parana e de São Paulo.

Os 32 Km do territorio vizinho estão em estado lastimável, tem buraco esperando vaga e muita terra na pista. Por onde o ponteiro do bonde passava todos iam atras, imaginando ser o melhor lugar e que ele tinha escolhido o menor buraco para passar.

Em Apiaí fomos recebidos pelos irmaos daquela cidade, que deram todo o apoio necessario, providenciando refeições, hospedagens e passeios nos lugares turisticos.

O almoço ocorreu num restaurante perto da pracinha, num clima fraterno e muito descontraido. Logo após fomos visitar o Morro do Ouro,  que no passado fomentava a economia da regiao,  inclusive no Portal, tem homenagem aos bandeirantes e escravos, (tamanho natural em argila), que com seus equipamentos desenvolviam seus trabalhos.

Um grupo de 22 irmãos, cunhadas, sobrinhos e amigos, com 13 motos, resolveu fazer o bate e fica. Ocuparam um hotel na cidade para melhor curtir a noite. A turma resolveu ir a pé ida e volta para jantar num restaurante. Dia seguinte após o café, o regresso aconteceu num clima de total descontração e segurança.